FELIZ COM A VIDA Inspiração

5 COISAS QUE APRENDI EM 5 DIAS SEM REDES SOCIAIS

23 de abril de 2016

Meu nome é Fernanda Neute e eu sou viciada em redes sociais. Ou pelo menos, era. Hmm, talvez esteja num momento re-hab.

Eu sou nerd e, desde sempre, adoro tecnologia. Quando eu era adolescente, minha família não tinha muita grana, então nunca tive muitos gadgets, mas preciso dar o crédito ao meu pai que foi muito espertinho e comprou em infinitas prestações nosso primeiro computador em 1994.

Mesmo sem internet, eu passava horas fuçando em tudo. Aprendi fazer planilhas com várias funções e até apresentações de PowerPoint, mesmo não fazendo a menor ideia de para quê se usava aquilo na época.

Logo veio a internet. E com ela o ICQ, o MSN Messenger, o Google e a primeira rede social da minha vida: o Orkut! Eu só tinha um contato, o amigo que me convidou, até eu convencer a minha melhor amiga a entrar também porque era a coisa mais legal do mundo e eu já tinha até uma comunidade da Barbie (que depois, se tornou a maior sobre o tema).

Fui umas das primeiras a aderir ao Facebook, Twitter e passei a entrar para toda e qualquer rede social que alguém criasse, pelo menos para saber como era.  

Hoje em dia eu sou bem ativa no Facebook, Instagram, Snapchat e Pinterest e continuo ligada em tudo o que vai aparecendo.

E vamos combinar? Quem não usa redes sociais hoje em dia?

Eu estava tão acostumada a passar o dia todo nas redes sociais que nem me dava mais conta do quanto tempo isso consumia da minha vida e acabava atrapalhando a minha rotina diária.

A coisa ficou séria quando, recentemente, eu voltei a ter aquela sensação que eu tinha quando trabalhava 12 horas por dia em uma agência de propaganda: eu não tenho tempo pra nada e não consigo fazer nada do que me proponho. A diferença é que atualmente eu não tenho um trabalho fixo, então, como isso pode ser possível?

Foi lendo um um livro maravilhoso, chamado Essencialismo, a disciplinada busca por menos, de Greg McKeown, que me caiu a ficha. O autor defende que devemos identificar o que é vital e eliminar todo o resto da nossa vida, para que possamos dar a maior contribuição possível àquilo que realmente importa.

BINGO! Essa sensação de falta de tempo voltou porque eu estava perdendo tempo demais com coisas não essenciais e uma delas eram as redes sociais, fato.

Como eu sou meio radical, decidi me desafiar e ficar 5 dias sem entrar em nenhuma rede social. Apaguei todos os aplicativos do meu iPhone e bloqueei todos os sites no meu laptop, começando à meia noite de domingo para segunda até a meia noite de sexta-feira, ou seja, 5 dias completos!

Eu aprendi muito com essa experiência e gostaria de dividir um pouco com vocês.

DIA 1 | F.O.M.O.

No primeiro dia eu fiquei meio sem rumo. Acordei e instintivamente peguei meu celular, mas não tinha nada para ver. Levantei e continuei meio sem saber como começar meu dia. Senti falta daqueles “minutos” de preguiça passeando pelo meu feed antes de levantar porque eles me ajudam a despertar. 

Durante o dia fiquei pensando em tudo o que eu estava perdendo e tive certeza de que o meu FOMO foi o maior impulsionador para o meu vício em redes sociais.

Quando eu saí do Brasil eu queria ter certeza de que eu não estava perdendo nada do que estava acontecendo na vida dos meus amigos e da minha família. Ativei todas as notificações para saber quando alguém importante para mim postava algo.

Como os meus primeiros 8 meses foram na Ásia e os meus horários eram mais flexíveis pela primeira vez na vida, se tornou um hábito acordar e imediatamente olhar todas as redes antes mesmo de levantar da cama. Queria saber tudo o que tinha acontecido enquanto eu dormia. O problema é que hábitos são muito difíceis de quebrar e o que era uma olhadinha se tornou 1h30 sem que eu percebesse.

DIA 2 | NOTIFICAÇÕES

No segundo dia já foi mais fácil. Em vez de pegar meu celular eu decidi ouvir um livro por 20 minutos antes de levantar. Isso foi muito legal! Usei os “minutos da preguiça” que eu gosto de passar na cama antes de levantar para aprender alguma coisa.

No fim do dia vi que meu iPhone ainda tinha, pasmem, 78% da bateria carregada no dia anterior. Isso mesmo! O que acaba com a bateria são as notificações e as milhões de vezes que abrimos para checar emails, mensagens e etc.

Aliás, eu não fazia ideia do quanto as notificações acabavam com a minha produtividade. Além do FOMO eu também tenho TOC. Toda vez que eu vejo uma notificação EU PRECISO ver o que é. E, se aquela notificação exige uma resposta, EU PRECISO responder naquele minuto, tanto que eu nunca consegui fazer joguinhos com os boys porque respondia tudo na lata.

Só que cada vez que eu paro para ler um comentário de alguém, eu acabo voltando pro feed, aí sou praticamente obrigada a clicar no quiz do BuzzFeed para saber se eu sou expert em pagode dos anos 90, aí eu preciso compartilhar com a minha amiga que eu tenho certeza que vai amar, aí começamos uma conversa no WhatsApp e quando vi, mais 1h do meu dia se foi sem que eu percebesse.

DIA 3 | INSPIRAÇÃO

A gente vê muita celebridade de Instagram/ Snapchat dizendo que adora dividir o dia-a-dia nas redes para inspirar as pessoas. Looks, a rotina de malhação, a barriga de tanquinho, as viagens, os tratamentos estéticos, os eventos, a decoração da casa, os presentes recebidos no mês e etc.

No terceiro dia eu notei que estava me sentindo muito mais inspirada estando por fora de tudo o que acontece nas redes sociais do que enquanto perdia um tempo precioso do meu dia acompanhando as milhões de horas da vida dessa galera no Snapchat, por exemplo.

Isso me fez realizar o quão passiva eu me tornei em relação ao conteúdo que eu consumo. Se tornaram raríssimas as vezes em que eu abro uma janela no meu navegador e digito um site específico. Eu vou seguindo o fluxo e clicando, clicando, clicando naquilo que aparece na minha timeline. Isso é um erro! Primeiro porque eu deveria fazer as coisas com propósito e segundo porque os algoritmos são programados para me mostrar o que é interessante para eles e não o que eu realmente preciso ou quero ver.

No fim do dia eu estava me sentindo tão bem que me surpreendeu o fato de que eu não estava sentindo falta nenhuma de todo o conteúdo que eu passo horas consumindo diariamente.

DIA 4 | PROPÓSITO

No quarto dia comecei a pensar no propósito das minhas redes sociais. Por que eu posto o que eu posto?

No Facebook eu posto pouco. Ele funciona mais como a minha agenda da época da adolescência. Lá tem os aniversários dos amigos, bate-papo, álbuns de fotos, recordações, os lugares que eu fui, lembretes de eventos e o feed de notícias que passou a ser uma espécie de RSS para mim.

O Instagram, no começo, me encantou pela parte artística. Eu amo fotografia e seguir gente talentosa, ver fotos lindas que me inspiravam e ensinavam a fotografar melhor era muito legal. Tanto que adoro olhar o meu próprio feed de vez em quando para a ver a evolução das minhas fotos. Lá eu posto tudo o que eu acho bonito.

O Snapchat ganhou meu coração quando eu percebi que eu poderia fazer a coisa que eu mais amo no mundo sem ser julgada: FALAR! Ouve quem quer, interage quem tem vontade e não existe a pressão dos likes.

Ah, os likes… foi a parte que me deixou um pouco desanimada.

Se eu disser que tudo o que eu posto hoje em dia é para mim e que eu não ligo para a opinião dos outros, estarei mentindo. Eu já fui assim. O problema é que depois que várias pessoas que não eram só os meus amigos começaram a me seguir eu travei um pouco.

Ao mesmo tempo que eu me recuso postar algo só porque gera mais likes, eu comecei a me questionar muito sobre a relevância dos meus posts quando eles não tinham muitos likes ou sempre que depois de uma foto, várias pessoas deixavam de me seguir. Não dá pra negar que todos nós queremos ser queridos e receber um pouco de atenção, né?

Depois do detox eu estou tentando não pensar em nada disso. Estou voltando a postar aquilo que eu tenho vontade e que vá me trazer uma lembrança boa no futuro, mesmo que ninguém goste. Se isso inspirar alguém, ótimo, se não, o unfollow está aí para isso, sem ressentimentos!

DIA 5 | PRESENÇA

Meu iPhone é uma extensão da minha mão, quase um órgão vital. Não ter o meu celular ali desviando a minha atenção o tempo todo me fez focar muito mais nas atividades enquanto elas estavam acontecendo.

Os momentos de tédio na fila do supermercado ou no metrô, perfeitos pra ficar nas redes sociais, serviram para me fazer voltar a observar o entorno. Parece que não, mas tédio também é ótimo para fazer a gente pensar na vida, coisa que acabamos não nos permitindo já que existe sempre algo disponível online para nos entreter.

Pelos meus cálculos, eu passava uma média de 4 horas do meu dia nas redes sociais. Depois do detox esse número seguramente caiu para 1 hora e meia no máximo.

Algumas mudanças foram fundamentais para diminuir esse tempo:

  • Desativei todas as notificações. TO-DAS.
  • Passei a escolher os momentos em que eu quero entrar nas redes e o que eu quero ver e não apenas seguir o fluxo como antes.
  • Deixei de seguir todo mundo que de alguma forma me faz sentir inadequada, me deixa pra baixo ou não me inspira de um jeito mais significativo.
  • Parei de seguir pessoas e conteúdos que viraram paisagem. Sabe aqueles que você não tem mais paciência e acaba passando rápido ou nem presta atenção? Esses 5 dias me ensinaram que cada segundo da minha atenção é mais valioso do que eu imaginava e eu não quero desperdiçar nenhum com o que não é importante.
  • Também deixei de seguir pessoas e sites que eu não me identifico mais e até me irritam um pouquinho, mas continuava seguindo por causa daquele “guilty pleasure”, sabe?

Eu continuo amando as redes sociais e, morando em outro país, elas são um excelente meio de me manter perto das pessoas que eu mais amo e até conhecer gente nova, mas foi essencial determinar a importância e o espaço que elas devem ter na minha vida. 

E vocês? Qual é a relação que vocês têm com as redes sociais? Me contem nos comentários!

❤️

Imagem: Pixabay

UPDATE: recentemente gravei um vídeo sobre o que aconteceu um ano depois desse desafio!

You Might Also Like

52 Comments

  • Reply Fernanda 23 de abril de 2016 at 20:53

    Fe, amei seu texto e a partilha da experiência sem redes sociais por 5 dias! Estou no fluxo inverso onde não tenho paciência de ficar horas navegando na internet e em redes sociais. Mas por ouvir taaanntttoooo as pessoas me chamarem de ET, porque não estava nas redes socias, acabei criando o facebook em ago 2015, instagram e snapchat esse ano…. Agora as pessoas cobram mais postagens! Não é muito curioso? Sempre as expectativas delas… só que não quero atender expectativa de ninguém!!!
    Minha vida é muito rica no mundo offline e ESCOLHO o que postar, para quem e quando quero… Além de seguir muito poucas pessoas que me identifico – como você – mais questionadoras, autênticas e que não vão no fluxo da massa. Por tudo isso, minha relação com as redes sociais é saudável e aprendi a aproveitar o que cada uma tem de bom, com poucas horas de acesso no meu dia e ponto final! Bjs

  • Reply Pri 23 de abril de 2016 at 21:01

    É engraçado pq ja fui viciada em facebook, já fui viciada em instagram, tinha que ler todo o feed sempre, em joguinhos tipo candy crush, etc. E hoje eu gosto muito do snap, mas sigo poucas pessoas, as que começo a seguir e fico achando repetitivo pq a pessoa mostra todo dia a mesma coisa, fala sempre as mesmas coisas, eu paro de seguir. Constatei que tudo começa em um momento de tédio, daí começo a viciar. O que estou buscando pra minha vida é mais conteúdo, coisas que me ensinem mais, que me façam pensar. Por isso estou reformulando minhas assinaturas do youtube (cansei de videos de blogueiras, de video de make, etc, é a mesma coisa há anos!), sempre estou deixando de seguir gente no instagram, enfim, limpando minhas redes e passando bem pouco tempo nelas. Até fiz uma listinha de coisas pra eu fazer quando quiser relaxar, coloquei os filmes, series, livros que quero ler pra esses momentos mais relax. Outra coisa que fiz foi mudar minha rotina, eu ficava muito tempo em loop eterno sempre nos mesmos sites, daí ficava distraída com a tv, depois redes sociais no celular, mudei completamente isso e me fez muito bem 😀 Percebi como faço muito mais coisas, acabei com pendências e trabalho mais! Está sendo uma renovação pra mim.

    • Reply Daiana 1 de outubro de 2016 at 22:42

      Que bacana! Gostei da ideia da listinha 🙂

  • Reply Thaisa 24 de abril de 2016 at 09:16

    Fernanda, cada vez que entro aqui e tem um post novo, penso: o quê vou aprender agora? Aguardava por esse desde que você “anunciou” que ia fazer o detox, no Instagram rsrs! Adoro ler tudo o que posta!! Também tenho vontade de me desligar um pouco, serviu de inspiração.
    Obs: sou a leitora que perguntou no Instagram porque o site estava fora do ar semana passada, hehehe
    Bjs!

  • Reply Denise Ribeiro 24 de abril de 2016 at 23:30

    Adoro seus posts! Beijos

  • Reply Isa Carvalho 25 de abril de 2016 at 09:58

    Oi Fe! Adorei o assunto do post, é algo que poucas pessoas falam, na verdade falam bem o contrário: me siga em todas as redes sociais existentes! Consuma mais conteúdo que não é relevante pra você! Me dê likes, like é vida!
    Minha situação é bem parecida com a da PRI ali em cima.
    Sou bem chatinha com redes sociais, tenho menos de 70 amigos no Facebook, e vira e mexe faço uma limpa ou deixo de seguir alguns que não tenho coragem de excluir. Parei de curtir posts há mais de 1 ano, e vi muita diferença no meu feed, mas infelizmente depois que criaram aquelas reações fofinhas acabo curtindo de vez em quando. Prefiro deixar um comentário, que tem mais “tato” e não alimenta os algoritmos irritantes do Facebook.
    Mudei totalmente meu feed, comecei a seguir somente páginas que realmente tenham conteúdo relevante pra mim, deixei de seguir pessoas nocivas, acho que deixei de uma maneira que seja mais produtiva.
    Meu marido entrava num buraco negro do Face, chegava em casa do trabalho e ia “só relaxar um pouco” e entrava no Face, que sinceramente só tem porcaria no feed dele hahahaha e os vídeos rolavam automaticamente e se eu chegasse em casa 3hs depois ele ainda estaria com a roupa do trabalho, na mesma posição, imerso no buraco negro do Facebook.
    Teve um dia que dei um basta, falei que ele precisava fazer a parte dele com as tarefas de casa, ele concordou que tinha se tornado um vício, que não conseguia sair do Face e pediu ajuda. Juntos fizemos uma limpa de amigos e páginas, desativamos a reprodução automática dos vídeos e ele começou a se policiar com o tempo de uso.
    Também tenho contas em todas as redes sociais existentes, até mesmo porque tem uma menina com o mesmo nome que eu e há tempos acha que o meu email é o dela (??) e já achei Orkut dela com meu email, então tenho que me cadastrar em tudo o que surge de novo antes que ela cadastre antes. Vira e mexe recebo email de recuperação de senha do Facebook e eu sei que é ela.
    Já fui muito ativa no Twitter mas hj em dia uso só pra ver quando tem problema no metrô, instagram uso bem pouco e peguei um bode enorme do snap. Minha grande paixão é o Pinterest, lá pego imagens que me inspiram, receitas e dicas de produtos caseiros.
    Me inspirei em você e vou fazer essa detox também, se tivesse visto o post ontem já teria começado! Vai ficar pro domingo que vem.
    Beijos!

  • Reply Suelen Espindola 25 de abril de 2016 at 11:01

    Nossa achei super bacana, acredito que a maioria das pessoas fazem as mesmas coisas que você descreveu no texto, realmente as redes sociais tiram muito tempo, e tempos preciosos que poderíamos aproveitar em outras coisas que realmente importam. Sou viciada nas redes sociais também, tenho todas,srsrs. Adorei esta dica do detox. Estou amando seu blog, continue! Abraços!

  • Reply Bruna Andrade 25 de abril de 2016 at 17:48

    Ei Fernanda! Me inspirei em você e estou há mais de uma semana sem facebook, e gastando bem pouco tempo no instagram! Snap é meu maior vício, não consigo ficar sem, mas ultimamente tenho selecionado bastante quem seguir, dei um monte de unfollow. Acho melhor do que ficar aquele tanto de atualização que a gente acaba querendo (zerar), já que eu, como vc, sofro de toc com essas coisas (hahaha tb nunca consegui fazer joguinho com o boy, nessa de querer responder imediatamente).
    Acho que meu problema maior com as redes sociais é a falta de saber procurar os conteúdos que eu quero (ou a falta de saber oq eu quero pra procurar, pode ser tb!). Se estou com um tempo livre querendo achar alguma coisa legal, diferente, fico meio sem saber oq fazer, por isso caio no face, ou no pinterest… Aproveitando a deixa, quem sabe vc não faz um post com sites legais e inspiradores de diferentes áreas que você gosta?
    Um beijo!

  • Reply Bruna 25 de abril de 2016 at 20:34

    Muito bom esse texto, Fe. Estou precisando mais do que urgentemente desconectar um pouco! As vezes tento mas parece que a coisa é mais forte do que eu! 🙁 Obrigada pelas dicas… vou me inspirar pra por esse desapego em prática!

    Beijos

  • Reply Priscila Gomes 26 de abril de 2016 at 08:46

    Já fiz um detox desse… mas confesso que embora me desconectar esteja entre as principais mudanças que eu quero na vida, estes últimos tempos tem sido muito gastos em inutilidades nas redes sociais. E eu sei disso. Mas seu texto me animou a voltar ao meu objetivo. Se algo urgente acontecer, a pessoa vai me ligar, eu não preciso ficar com o Whatsapp ligado todo o tempo. Aliás, tem me feito perder muito tempo, o Instagram e o Whatsapp… o facebook menos, mas também perco algum tempo.
    O tempo que eu fiquei sem foi maravilhoso. Fui mais produtiva, e tive mais tempo pra quem realmente estava presente.
    Obrigada por compartilhar essa experiência maravilhosa!

  • Reply Carla 26 de abril de 2016 at 09:46

    Eu tenho pouquíssimos amigos no face. Excluo vários que não faz mais sentido estar ali e desativo o feed de pessoas que não postam nada de relevante pra mim. Nunca quis ter zilhões de amigos só por ter.
    No instagram sigo poucas pessoas. Somente aquelas que eu gosto muito e me inspiram de alguma forma. Parei de seguir blogueira de moda, elas me irritam profundamente.
    Minha vontade é de um dia conseguir excluir de uma vez por todas as redes sociais da minha vida. Rsrs. Quero ser que nem meu marido sem facebook, sem instagram, sem snap. Um dia chego lá!

  • Reply Suelen Espindola 26 de abril de 2016 at 10:20

    O que é FOMO?

  • Reply Vanessa 26 de abril de 2016 at 15:21

    Fe, que texto maravilhoso e verdadeiro! Parabéns! Já fiz algumas vezes essa detox porém não de todas as redes sociais mas mesmo assim já refletiu na minha vida de maneira positiva. Seu post me inspirou a fazer de uma forma mais radical! Amei!

  • Reply Aline Leao 26 de abril de 2016 at 16:27

    Oi Fe! Amei seu texto e vendo os comentários me senti à vontade para vir aqui dar meu testemunho tb rs!!!
    Eu já fiz o DETOX não de 5 dias mas de 3, eu já estava num momento em que sentia dor de cabeça, cansaço, dor nas costas etc… Já me peguei varias vezes caindo de sono mas ainda sim nas redes sociais, infelizmente se tornou um vicio. Vi que além desses sintomas estava me sentindo mal por ver tanta gente fazendo tanta coisa legal e eu sempre na minha rotina, aos poucos eu estava virando uma bomba relógio!
    O texto está sendo postado no passado mas eu ainda não consegui me desvincular totalmente deste vicio que toma boa parte do meu tempo, mas aos poucos estou conseguindo.
    Obrigada por compartilhar essa experiência conosco. A cada dia se torna mais claro na minha vida a importância do equilíbrio EM TUDO inclusive no uso das redes sociais!

    • Reply Fe Neute 26 de abril de 2016 at 17:07

      Que bom que você compartilhou! Estou adorando ler os testemunhos de todo mundo. Acho que esse é um sintoma bem comum, achar que todo mundo está fazendo coisas mega legais. Quando eu estava viajando, todo mundo achava minha vida o máximo e eu ficava invejando meus amigos que estavam juntos no happy hour. Acho que faz parte do ser humano achar que a grama do outro é mais verde.

      Espero que você consiga mudar os hábitos e acho que esse livro Essencialismo pode te ajudar muito! Além de te manter fora das redes enquanto você está lendo 🙂

  • Reply Thalita Dantas 26 de abril de 2016 at 19:07

    Fê, o whatsapp estava dentro do detox? Vou tentar também, mas sofro muito de FOMO. Muito! E como faz parte do meu trabalho, compartilhar e postar em uma página e Instagram, fico mais insegura ainda!

    • Reply Fe Neute 27 de abril de 2016 at 00:38

      Oi Thalita! Eu não bloqueei ele como os outros porque não queria ficar completamente offline morando fora do Brasil, mas o que eu fiz foi não começar nenhuma conversa e só responder o que era essencial (tipo falar com a minha mãe), sabe?

  • Reply Natalia Fernandes 26 de abril de 2016 at 23:09

    Oii Fernanda! Adorei seu texto! Aliás todos eles nos fazem refletir sobre nossa vida como nós mesmos nos controlando para vivermos bem e principalmente felizes! Realmente vivemos numa era de likes e vivermos conectados 24hrs por dia, e as vezes nos esquecemos de uma vida offline, geralmente faço um detox das redes sociais quando estou no final do semestre da faculdade e automaticamente não tenho tempo para desperdiçar, mas acho que vou praticar mais em minha vida esse mundo off.
    Abraços!

  • Reply Aline Revolta C Mathias 27 de abril de 2016 at 07:07

    Oi, Fê!

    Seu texto, sem dúvidas, me fez refletir bastante.

    Comprei o livro durante a leitura do seu artigo. Pretendo fazer o detox. Espero conseguir, pois agora estou ainda mais conectada já que minha bebê ainda não tem um mês e ainda não podemos sair por aí.

    Percebo que perco tempo precioso me dispensando nas redes.

    Valeu pelo conteúdo sempre riquíssimo!

    ?

  • Reply Jussara Barbosa 27 de abril de 2016 at 08:20

    Oi, Fê. Você foi uma descoberta tão bacana que fiz nos últimos tempos! Enquanto eu garimpava por alguns sites, cheguei neste e, acompanho desde então e adoro. Me inspiro muito em você.
    Pois bem, eu acho que nunca li, nos dias de hoje, um relato sobre o inverso, sobre ficar offline. Achei seu relato muito honesto, e acho que estou precisando levar isso pra minha vida: atualmente (infelizmente), perco muito tempo em redes sociais, confesso. Se hoje eu pegar meu celular e verificar tudo que eu sigo nas redes, a maioria são conteúdos pobres, pessoas que não me agregam, e isso me deixa triste comigo mesma. Triste por eu permitir gastar meu tempo e acumular minhas coisas, não dar a devida atenção às pessoas numa conversa, no momento em que está acontecendo. Há alguns dias pensei em fazer uma limpa em todas as redes e tentar melhorar, mas esta ideia do detox, me deixou muito mais afim e confiante de que pode ser revolucionário. Sinto que preciso.
    O nosso problema hoje em dia, é achar que o tédio é uma coisa chata, não conviver com ele e ir buscar refúgio em nossos celulares.
    Vou procurar este livro para ler, e concordo com a colega lá em cima, Bruna Andrade, de você fazer um post com todos os sites, de diferentes assuntos que você gosta, para nos inspirar também.

    Beijo!

  • Reply Carlos Maltez 27 de abril de 2016 at 17:48

    Oi Fê,
    Ultimamente as redes sociais se tornaram um refúgio para mim, já que meu trabalho se tornou insuportável, mas ainda não consegui me planejar para deixá-lo! Dessa forma, durante o dia de trabalho, deixo uma janela aberta, principalmente no Facebook e a visualizo diversas vezes, durante os afazeres do trabalho. Fora do trabalho, quase não acesso nenhuma rede, tanto que nem tenho nenhum app no celular.

    Um abraço!

  • Reply Bruna Andrade 27 de abril de 2016 at 19:28

    Lembrei muito de vc qnd li esse texto:
    http://chatadegalocha.com/2016/04/voce-ja-se-levou-pra-jantar/
    Bjs

  • Reply Bruna Pires 30 de abril de 2016 at 04:55

    Oi Fé, eu sou sua seguidora assídua e acho que sou a única pessoa do planeta que não tem Facebook kkkkkk. Vejo minha irmã perder horas e horas da vida dela com isso, a ficar triste de vez em quando achando que a vida dela é pior do que a dos outros, porque no Facebook parece que todas as pessoas são tão tão felizes que chega até a incomodar , quando na verdade a vida delas é igual a nossa, tem os seus altos e baixos, mas o problema disso é justamente isso , que as pessoas postam 90% das coisas para impressionar outras pessoas ,e qual o sentido disso? Por que se gabar de tudo para todos, acaba perdendo o sentido da coisa eu acho . Enquanto a minha irmã está nas redes sociais eu estou no parque, andando de bike, assistindo filme, lendo um livro , e ela está lá, ficando obesa e não consegue arrumar motivacao para se cuidar e também não tem tempo. Acho que tudo isso me fez nunca ficar tão atraida assim pelas redes….num metrô hj em dia vc olha para os lados está todo mundo no celular, é incrível como as pessoas a cada dia que estão mais conectadas, estão ficando mais e mais distantes….e infelizes…..
    Beijos Fê, amo seu blog.

  • Reply Alexsandra da Silva Lázaro 2 de maio de 2016 at 12:38

    Olá Fernanda, me identifico com a sua experiência. Voltei de um intercâmbio recentemente onde era tudo em excesso (facebook, fotos, likes, etc) inclusive a organização usava facebook pra comunicar com a gente. Percebi o quanto tinha QUANTIDADE e não qualidade. Fui radical em ficar sem facebook e a internet cancelei por não estar satisfeita com a operadora. Estou vendo o lado bom / economizo dinheiro com a internet e utilizo na empresa antes do meu horário de trabalho. Foco exatamente os sites e informações que eu preciso. Entrei em contato pessoalmente com os amigos, e dou atenção ao que falam nem fico com o celular na mão. E isso já faz 5 meses, e quero criar um negócio online e assim sim criarei um facebook ou outras redes pra empresa, onde escreverei com algum propósito. Parabéns pelo site!

  • Reply Nana 2 de maio de 2016 at 20:30

    Segundo post do dia que me faz refletir se eu realmente preciso ter Facebook… Obrigada!
    Bj e fk c Deus
    Nana
    http://nanaeosamigosvirtuais.blogspot.com

  • Reply Amanda 3 de maio de 2016 at 22:43

    Adorei Fe!!! Dias antes de você fazer esse desafio, eu tb fiz um detox das pessoas que sigo no snap e no instagram que são as únicas redes sociais que tenho. Várias coisas minhas estavam sendo deixadas de lado e eu acabava dormindo muito pouco a noite. Meus amigos ficam agora surpresos quando digo que minha bateria dura as vezes até 2 dias e quanto os deles duram apenas 1 dia.

  • Reply Bia 9 de maio de 2016 at 10:02

    Post perfeito!! Segui uma das suas dicas e tirei as notificações dos apps, assim não fico distraída com coisas não importantes!! Agora vou tentar não ficar tanto em redes sociais enquanto trabalho!!

    Vi num outro blog um app chamado Pomodrone, ainda não testei, mas vou fazer isso hoje (aproveitando que é segundazzzz hehe).

  • Reply Janaina Helena 13 de maio de 2016 at 14:04

    Me identifiquei. Foi exatamente quando entrei no Mestrado em Direito (mês passado) que percebi quanto tempo gastava em redes sociais e isso precisava ser drasticamente diminuído.

  • Reply Adriana 24 de maio de 2016 at 10:29

    Excelente blog , com super dicas adorei !!!!!

  • Reply Juliana Borges 15 de junho de 2016 at 22:50

    Vou ter que comentar de novo hahahah AMEI esse post, Fe! Não sou o tipo tãaao viciada em redes sociais, mas, com seu post, vi que eu acompanho muitas coisas desnecessárias e pessoas que não acrescentam em nada na minha vida. Pelo contrário, às vezes, algumas dessas pessoas só me fazem sentir como se minha vida estivesse uma droga, o que não é verdade. Eu sou feliz e aproveito minha vida como posso. Claro que eu poderia batalhar por mais coisas, mas isso definitivamente não faz da minha vida algo ruim.

  • Reply Robson 25 de julho de 2016 at 00:55

    Olá,

    Eu tenho uma história parecida de com a informática, mas me distanciei um pouco da internet logo no começo do Twiter.

    Depois fiquei um tempo fazendo serviços em casa, acabei retomando o gosto pela internet, e realmente é viciante, mas acho que não fica só nisso, até o criador do Orkut já disse que estamos ficando depressivos devido às redes sociais, acredito que por ver muita informação, que as vezes não podemos ter, mesmo que seja temporário.

    Sem contar que está cada vez mais evidente que estamos sendo testados ou experimentados, sem mencionar, ainda, que estamos até pagando créditos para enviar nossos dados (comportamentais?) mesmo contra nossa vontade.

    A melhor coisa é fazer como você fez, não dizer apenas já chega, mas fazer.

    Parabéns pelo texto, sem contar que você é uma linda, já gamei!

  • Reply Grazy Bernardino 8 de agosto de 2016 at 16:26

    Oi Fe, eu adorei o seu texto! Já fiz vários detox de rede sociais, hoje em dia eu não faço parte de nenhum grupo de whats app, desinstalei Snapchat e o feed do Facebook só aparece coisas sobre páginas que curti e blogueiras que são minhas amigas (mas olha, não sigo todas).
    O melhor pra mim foi perceber que me faz muito bem não saber a opinião alheia, nem sobre suas vidas e perceber que os likes e deslikes não me afetam de forma gigantesca. Hoje posto o que gosto, sem padrão. Tudo na maior liberdade!
    Beijinhos

  • Reply Leo 29 de agosto de 2016 at 21:40

    Muito legal a experiência Fe.
    Acabei chegando aqui porque estou numa experiência radical de abandono das rede.
    a única rede que mantenho é meu portfólio no Behance.
    Estava coletando postagens de pessoas e matérias sobre o assunto.
    Obrigado pelo compartilhamento do assunto. E pela dica do livro.
    Já estava numa prática da presença nas coisas que fazia e com as pessoas. Mas vi o quanto as pessoas estão fugindo do contato humano, afetando até o meu jeito de se relacionar.
    Sai por motivos pessoais e espirituais. Valorizo muito a presença.
    É uma experiência pessoal. E o fato de não mais ver as redes me sobraram mais tempo e direito a escolha dos caminhos.

  • Reply Clarisse 31 de outubro de 2016 at 23:23

    Sou brasileira e atualmente (há mais de 10 anos) vivo na Noruega. Cheguei de férias maternas e estou chocada como as redes sociais aqui no Brasil tem “força”. Por “acaso” não possuo nenhuma rede social (minto: sou obrigada a possuir um Google + em branco devido ao Android e um Whatsapp que falo muito pouco). A última rede social pra valer que tive foi o Orkut quando adolescente. Mas ao ser questionada porquê eu não tenho pelos meus amigos e familiares brasileiros, fiquei sem resposta. Ninguém do meu convívio na Noruega possui tamanha dedicação à redes sociais. Isso é mais valorizado por jovens, adolescentes, empresas e outras instituições que utilizam para marketing digital. Adultos enviam e-mails, ligam e até mesmo enviam cartas.
    Bom, cheguei no texto após buscar no Google: pessoas +sem + redes + sociais e achei o texto da autora (que seria o meu oposto a respeito do assunto) e concordo realmente que o mais certo é possuir um equilíbrio. Verei alguma rede social pra dar entrada e não saírem pensando que sou avessa. Só fui deixando de lado mesmo…rs.

  • Reply Ana Carolina 2 de novembro de 2016 at 20:14

    Olá Fernanda!
    Gostaria de parabeniza-lá pelo texto! Há muito tempo que procuro por dicas e textos que fala sobre esse “detox” das redes sociais.Seu texto foi inspirador!
    Não sou tão radical como você, para fazer cinco dias, vou começar com 48 horas e conforme for aumento.
    E mais uma vez parabéns pelo seu texto e pelo site/blog…

  • Reply Karina 7 de novembro de 2016 at 10:23

    Ameei o texto!!
    A parte de responder os boys rápido complicam mesmo né!? hahahaha
    Comprarei o livro que indicou e farei o mesmo, tenho sentido vontade de me livrar um pouco das redes sociais, mas sinto a necessidade da atenção e entretenimento e não consigo deixar de lado…

    Bora mudar isso ai!!!

  • Reply Israel Almeida 12 de novembro de 2016 at 18:41

    Já me apaixonei por você <3 Me identifiquei muito! Faço publicidade e sempre estou por dentro das redes sociais, mas percebo que consome muito meu tempo. Recomendo a série "Black Mirror" tem na Netflix, ela fala justamente disso. Bjs linda

  • Reply Sonaly Coelho 21 de novembro de 2016 at 14:37

    Ah minha gente, nunca tive essas coisas, tive no início do orkut. Não tenho por opção, acho q todos colocam tudo q fazem lá, comentam tudo, perdem muito tempo com redes sociais. Gosto de contato físico, gente q nunca vi invadindo meu espaço, pra mim é uma invasão de privacidade, não gosto mas respeito quem gosta.

  • Reply Ludimila Ágatha 11 de janeiro de 2017 at 14:46

    Amei! Pretendo tentar fazer isso um dia.

  • Reply Fabio 30 de janeiro de 2017 at 09:11

    Olá Fernanda! Comecei há dois dias sem facebook, e hoje desativei minha conta no instagram temporariamente, e por acaso encontrei sua matéria, estava buscando sobre os benefícios em ficar fora das redes sociais.

    Meu caso está mais sério, pois está atrapalhando no meu dia a dia, assim como vc, parece que trabalhei umas 16h sem produzir nada. Meu foco está reduzido, mas além do vício em redes sociais, acredito que quero sair para esquecer uma paixão…

    Muito bom seu texto, vamos ver quanto tempo eu aguento.

  • Reply Rodrigo 11 de fevereiro de 2017 at 22:04

    Que post legal, eu estou tentando me libertar do vício das redes sociais. Esse texto foi de grande inspiração para mim.

  • Reply Tatiane Amorim 27 de fevereiro de 2017 at 22:13

    Eu sei que o texto é do ano passado, mas super atual, eu estava procurando algo assim pra me inspirar em largar um pouco as redes sociais, na vdd hj sai do facebook e do Whatsapp, quero muito um tempo, as pessoas perdem o respeito, se acham no direito de dizer coisas, ser corajosas, e a gente acaba pirando tbm, falando coisas que nem são do nosso feitio, então preferi dar um tempo, preciso respirar, tirar um pouco essa mania de olhar pro celular de minuto em minuto.. obrigada pelo belo texto e por me dar forças pra tbm fazer algo por mim. bjos

  • Reply Louise Rangel 8 de março de 2017 at 14:09

    Nossa!! Estava no Google procurando alguém que já tivesse tentado se livrar desse vício e encontrei o seu excelente texto. Já tinha lido algumas publicações suas e sou fã daquilo que você escreve. Concordo com suas colocações e acho que as redes sociais estão sugando a minha vida. Perco horas preciosas do meu dia com isso. Esse assunto é muito sério, pois é como se estivéssemos vivendo em dois mundos: um é virtual e o outro real. Ao mesmo tempo que a internet nos aproximou a todos e encurtou as distâncias, ela também nos afastou. Afinal, em qual desses mundos estamos vivendo de fato? Sinceramente, preciso com urgência voltar a viver de verdade, como era antes disso tudo. Não é fácil e seu texto nos incentiva a tentar dessa inércia. Obrigada por compartilhar! Bjs.

  • Reply Aline Marques 14 de março de 2017 at 13:21

    Nossa que legal…. adorei seu texto…fiz uma promessa de ficar 7 dias sem qualquer rede social… e estou adorando…. nossa me sinto aliviada.. pq realmente é um vício… eu não preciso “buscar” saber da vida de ninguém… e como você mesmo disse…. a gente acaba “seguindo” e as vezes já nem temos mais “saco” mas deixamos lá. Meu celular está sem acesso a qualquer internet, ou seja, não carrega nem o Google. Eu realmente estou zerada de rede social.
    Acabei pesquisando no Google e vi seu post e achei exatamente o que sinto nesse momento, e acredite eu postava tudo o que eu tava fazendo, e agora fico pensando, porque temos essa necessidade de ficar mostrando até mesmo para algumas pessoas que não conhecemos o que estamos fazendo ou pensando? Deve ser carência mesmo.
    Bom.. passei aqui só para deixar meu comentário que vc falou exatamente tudo aquilo que estou sentindo.
    Obs: Só volto (se voltar) na segunda acessar as redes sociais. Estou pensando seriamente sobre isso, se voltarei.
    Beijos

  • Reply Thaís o costa 19 de março de 2017 at 12:07

    Olá Fernanda! Eu estava exatamente,​ assim senti que estava perdendo muito tempo , nas redes sociais .
    Por fim resolvi desativar tudo pra sempre ,não somente não 5 dias
    Foi a melhor coisa já que meu trabalho não depende de divulgação de mídia bjsss

  • Reply Lucas 27 de março de 2017 at 23:52

    Olá, Fe
    Eu só vim te parabenizar pelo texto. Você conseguiu me inspirar bastante, e olha que isso é um grande feito ( ainda maior, considerando que eu curso computação e, nem me lembro qual foi a última vez que entrei em um site desse tipo kk ).
    Cara, o engraçado é que, eu decidi excluir a maior parte das minhas redes sociais hoje. Isso porque​ em resumo, quero aumentar a minha produtividade nos estudos, e ter mais tempo pra evoluir no geral. Daí, por acaso, eu digitei no Google algo do tipo: ” não as redes sociais ” e cheguei aqui kkk. O incrível é que, de cara, eu encontrei o lugar certo, na hora certa. Significou muito, num mundo tão caótico. Eu tenho certeza que se qualquer uma das condições da minha vida fosse diferente, eu não daria relevância a tudo isso.
    Então… de novo, parabéns! Abçs

    PS.: Eu sei que o papo pareceu meio viajado, mas acho que valeu a escrita porque foi significativo pra mim​. Esse foi só um dos passos necessários, mas já me deixou mais confiante de conseguir alcançar os meus objetivos.

  • Reply TATIANA VIEIRA DA COSTA 6 de abril de 2017 at 12:44

    ISSO É PERFEITO! HÁ TEMPO EU JÁ FAÇO ISSO TENHO O MEU HORÁRIO PARA ENTRAR NO FACE E INSTA,SIGO E VEJO O QUE EU QUERO E QUEM EU QUERO SIMPLES ASSIM

  • Reply Jana Maria 14 de maio de 2017 at 23:13

    Adorei seu texto, em vários momentos parece que você está me descrevendo. Te encontrei aqui como um pedido de socorro pra mim, pois as redes sociais e o youtube consome muito meu tempo e já está me prejudicando muito. Vou seguir a sua dica. Parabéns pelo texto, e desde já te agradeço por compartilhar a sua experiencia . Obrigada.

    • Reply Fe Neute 21 de maio de 2017 at 12:54

      Fico feliz que tenha ajudado. Eu luto contra esse vício todos os dias. Preciso ficar me policiando porque quando vejo já perdi horas nas telas do celular e computador. O importante é estar consciente e querer mudar!

  • Reply Valter 3 de junho de 2017 at 14:10

    Adorei a postagem Fe!
    Eu também era bastante ligado nas redes sociais, de um tempo para cá vi que isso me ocupava muito tempo e não tinha um por que eu ficar entrando e olhando, olhando, isso não era nem um pouco produtivo.
    Já exclui meu perfil de todas redes sociais exceto facebook, que eu também quase nem entro mais, mas logo vou excluir também por um tempo, ou para sempre quem sabe hahah
    Viver a vida real é muito melhor!
    E obrigado pela dica do livro ?

  • Reply Micael 27 de junho de 2017 at 20:01

    ola Fe! Eu também tenho esse problema de acordar e falar ” Ah vou dar uma olhadinha, já levanto” e sem perceber se passam quase 2 horas. Há alguns dias atras eu resolvi sair um pouco dessa rotina. Meu Deus, Foi impressionante o quanto de tempo que eu tinha. Eu ate visitei tios, e avós. Porque as redes sociais me prendiam.
    Gostei muito de seu post Fe! Abraços e sucesso à todos!

  • Leave a Reply