DICAS FELIZ COM A VIDA

5 DICAS QUE VÃO TE AJUDAR A PRATICAR O DESAPEGO

28 de setembro de 2015

Desde que eu decidi viver só com uma mala, tudo o que eu mais faço é desapegar. Eu fui reduzindo a quantidade de coisas que eu possuo drasticamente e parece que quanto mais eu desapego, mais eu pego gosto pela coisa.

Assim que pedi demissão para virar nômade digital, eu precisei resolver o que faria com a tonelada de coisas que eu tinha em casa. Eu não tinha onde deixar essas coisas e pagar um depósito por tempo indeterminado não fazia o menor sentido. Foi quando eu decidi que tentaria me livrar do máximo que eu conseguisse.

Nem preciso dizer que não foi nada fácil, né? Eu era apegada. Tinha dor no coração só de pensar nas minhas coisas lindas, novas e que custaram caro e achava impossível escolher o que era mais importante no meio de tudo isso.

Para ficar mais fácil, eu segui um passo a passo que me ajudou muito e é isso que quero compartilhar com vocês aqui!

1. Tenha um objetivo claro

É muito importante ter um objetivo definido antes de começar. No meu caso era a viagem, mas pode ser uma mudança de estilo, a necessidade de mudar para uma casa menor e até o desejo de viver com menos. Uma vez que o objetivo está claro, fica mais fácil saber o que é realmente importante.

No meu caso, por exemplo, eu sabia que por causa da minha decisão, eu passaria a trabalhar de casa e isso elimina a minha necessidade de ter tantas roupas para trabalhar. Conclusão, as primeiras peças que saíram do armário foram as roupas sociais.

2. Separe tudo por categorias

Não tem nada mais desestimulante do que aquela sensação de que explodiu uma bomba atômica no nosso quarto. Quando isso acontece, a gente começa a arrumação cansada e fica mais difícil ter clareza do que é importante. A minha dica é separar por categorias: roupas de inverno, roupas de verão, sapatos e acessórios.

Mesmo que você tenha que dedicar um dia inteiro para cada coisa, fica muito mais fácil fazer dessa forma.

Comece separando as peças que você mais ama e provavelmente são as que você usa 80% do tempo. Depois, vá para o que sobrou e comece a olhar com cuidado. Uma dica incrível da expert em organização Marie Kondo, do livro “A Mágica da Arrumação”, é sempre se fazer a pergunta: “Essa peça traz alegria para a minha vida?”.

Muitas vezes a gente ama uma roupa, mas nunca a usamos. Não combina com a gente, com o que temos no armário ou não serve mais. Essas peças precisam sair das nossas vidas, pois elas estão ocupando espaço de outras que podem nos trazer muito mais satisfação e contentamento. 

Não tenha pena de tirar essas peças da frente. Ainda segundo a Marie Kondo, elas tiveram o seu propósito, te fizeram linda e feliz ou até mesmo te ensinaram o que não te veste bem ou não combina mais com o seu estilo. Olhe para tudo o que não faz mais sentido manter, agradeça por não precisar mais daquilo e elimine sem dó.

Tudo separado?

E agora? O que fazer com o que não queremos mais?

3. Passe a diante

A primeira coisa é jogar no lixo tudo aquilo que está feio, rasgado, cheio de bolinhas, manchado. Se você não usaria aquilo de jeito nenhum, não ache que outra pessoa, mesmo que com uma condição financeira diferente da sua, gostaria de usar. 

Também não passe para outras pessoas a responsabilidade de lidar com aquilo que você não conseguiu se livrar. É difícil jogar fora ou até mesmo doar aquilo que não nos serve mais, por isso, as vezes é mais fácil fazermos uma pilha de roupas e darmos para a nossa irmã mais nova ou para a nossa mãe. Só que não é justo fazer outra pessoa acumular aquilo que a gente não quer mais.

Colocou tudo o que não presta no lixo? Agora, separe roupas boas com carinho e pense nas suas amigas que já elogiaram aquela peça ou em alguém que realmente ficaria feliz em ganhá-la ou esteja precisando daquilo. Doe para essas pessoas ou para uma causa a qual você confie!

4. Venda

Todo mundo tem aquelas peças do apego. Aquelas que a gente pagou caro e muitas vezes nem foram usadas. Nesse caso, nada mais justo do que recuperar o dinheiro investido nelas. Você pode fazer um bazar na sua casa, pedir para as amigas chamarem outras amigas ou até mesmo usar sites como o Enjoei.

Nesse caso, você vai dividir os lucros pagando uma comissão de 20%, mas vai ter o apoio de uma rede com milhares de seguidores para vender as suas peças com muito mais rapidez e comodidade já que eles cuidam de tudo, até do pagamento do frete.

Outra sugestão é criar um álbum no Facebook no melhor estilo “Família Vende Tudo”. Conheço gente que já fez isso e deu certo! A única questão aqui é ter que lidar com todo o processo de entrega e cobrança.

Se grana não é um problema e você só quer renovar o guarda roupa, pode fazer uma festinha para trocar essas roupas com as suas amigas. Todo mundo leva aquilo que não usa mais e negocia de acordo com os interesses de cada uma. Mas lembre-se: não vale ficar regulando ou calculando o quanto você pagou. Pense que essa é uma peça que estava parada e que você está ganhando outra que será usada. Só isso já é uma boa razão para trocar.

5. Use a sua criatividade e reinvente

Aquela saia indiana da sua adolescência pode virar uma linda almofada. Uma calça jeans pode virar um shortinho. Um vestido pode virar uma mini saia. No Pinterest não faltam ideias DIY que reaproveitam coisas que estão sem uso em casa.

O mais importante de tudo isso é não deixar nada parado. Sempre pense que no lugar daquilo que você não usa poderia estar algo mais importante, que seja um espaço vazio para arejar as suas roupas.

Tudo o que nos cerca tem energia e toda energia parada está sendo desperdiçada. Eu garanto que com um armário mais livre você vai aproveitar muito mais as roupas que sobraram e entender melhor o que realmente falta para que você seja mais feliz com ele!

banner_enjoei

Imagens: Sharon Eve Smith

You Might Also Like

11 Comments

  • Reply Tati Bertucci 28 de setembro de 2015 at 23:21

    Na minha última viagem que durou 6 semanas, eu levei uma mala só, a menor, e ainda assim teve várias blusas que eu não usei. Notei então que sempre uso as mesmas blusas, que são as minhas preferidas, e que realmente não preciso de tanta roupa.
    Acho que já sou desapegada nesse sentido, porque sempre dou as roupas e sapatos que não uso mais pra minha irmã. Agora só penso um pouco em relação à decoração, porque quando se vive viajando não podemos ver nossa própria decoração nos lugares, pra deixá-los com nossa carinha, uma coisa que podemos fazer quando temos uma casa. Aí é mais difícil desapegar. 🙂
    http://www.blogqueroir.com

  • Reply Bruno Hanai 4 de outubro de 2015 at 23:06

    Acho que faz 1 ano que eu doei vários roupas. Para falar a verdade, foi muito fácil.

    É muito bom abrir o guarda roupas e ver somente roupas que eu gosto. Posso pegar qualquer uma.

    Agora, com outras coisas… tipo livros, brinquedos antigos, jogos antigos de XBOX, parece mais difícil.

    Eu sempre penso que posso vender, mas demoro para colocar no Mercado Livre (ou no enjoei) e não coloco. E também não faço a doação logo. E então eles ficam pelos cantos atrapalhando visualmente!

    Preciso resolver isso logo.

    Foram boas dicas que você deu. E eu fiquei impressionado com a quantidade de roupas que você já vendeu no enjoei. Muito bom.

    Abraço.

  • Reply Ana 7 de outubro de 2015 at 09:45

    estou passando por um momento de dificuldade financeira e passei a procurar peças que poderia vender. parece que só nesse momento de “necessidade” a gente percebe a qtdade de coisas desnecessárias que tem dentro do armário. tenho muuuitas peças que usei uma vez ou entao, que nem usei!! pretendo desapegar mt mais e, qdo puder, passar a adicionar ao meu armário apenas peças q eu realmente goste, de forma mais consciente.
    obrigada!!

  • Reply Tailynne Cássia 11 de Fevereiro de 2016 at 21:46

    Eu adoro seu blog, suas dicas são ótimas.

  • Reply Lucas Alves 7 de Fevereiro de 2017 at 18:36

    Lindo texto! Obrigado pelo carinho e cuidado de prepará-lo para nós!

    Grande abraço!

  • Reply Italo 7 de Março de 2017 at 10:43

    Quando passei no meu primeiro concurso tive que me mudar da Paraiba para Ceara. Tudo o que eu possuia na vida levei em 3 malas.

  • Reply Erika Henrique Rafaski 21 de Maio de 2017 at 22:35

    Gostei das dicas. Obrigado. Sempre doei as minhas roupas, mas voltava ao início “quando comprava o que não precisava, mas tinha certeza na hora que precisava”. Conhecer o minimalismo me ajudou muito a me organizar e ter uma mentalidade que visa consumir menos e saber comprar aquilo que realmente é necessário na minha vida!!!! ? Parabéns pela matéria. ♡

  • Reply Priscila 29 de Maio de 2017 at 12:57

    Mais que doar, o consumo consciente é essencial.
    Ter e obter somente o que usamos.

  • Reply Geralda 16 de junho de 2017 at 21:49

    Moro numa casa linda primeiro andar mas no meio da família do meu marido,desde que se mudamos pra ca que nunca mais fomos felizes, agente ja separamos uma vez foi uma crise horrível, agora tô fazendo uma casa no sitio do meu pai pequena mas la me sinto nuito feliz, mas quando chego aqui na casa que eu morei, onde vi minha filha crescer, eu choro fico muito triste porque nao deu certo nessa casa , eu me pergunto porque?é muito dificil desapegar desses pensamentos, o que faço?

  • Leave a Reply