Felicidade

O QUE EU JÁ APRENDI COM O DESAFIO

28 de fevereiro de 2014

Hoje eu completei 1/3 do desafio #100diasfelizescomavida. Muito mais do que um motivo para compartilhar fotos bonitas ou para acompanhar as fotos dos meus leitores, o desafio também tem sido muito útil tanto para a pesquisa, quanto para o meu aprendizado pessoal.

É interessante pensar todos os dias sobre quais são os momentos que fazem a nossa vida feliz, não é? Mas, ao longo desses 33 dias, eu também me dei conta do quanto é difícil.

Um dos itens que a gente mais vê em listas de “coisas que as pessoas felizes fazem” ou em livros de autoajuda é: praticar gratidão. Essa é justamente a ideia do desafio, nos fazer olhar para as pequenas coisas do dia-a-dia que nos fazem feliz sem que a gente perceba. 

Coisas como ter um animal de estimação, uma família, filhos lindos e saudáveis, uma comidinha gostosa, sair com os amigos, assistir ao pôr do sol, praticar um esporte ou chegar ao fim de uma corrida estão entre as fotos mais populares. Coisas simples, mas que enchem nossa vida de graça e alegria.

Mas, mesmo que a gente sinta uma espécie de gratitude no balanço geral, é impossível usar os óculos cor-de-rosa o tempo todo. O que o desafio também me fez perceber é que, mesmo viajando pelo mundo, às vezes é difícil tirar uma foto feliz por dia.

Essa semana o Fred Di Giacomo, do Glück Project, publicou um artigo muito interessante sobre os fracassos que a gente esconde no Facebook (vale muito a leitura!):

“Como só compartilhamos promoções, viagens, comidas gostosas e momentos de harmonia; nossas vidas parecem perfeitas e empolgantes. Quase como se existisse um mundo paralelo no Face onde tudo é legal e possível. Onde ninguém “toma porrada” ou “tem preguiça de tomar banho”. Um mundo diferente do “de verdade”- aquele onde a gente paga as contas, fica nas filas, toma fora do (a) namorado (a) e é demitido.” 

Além de me identificar muito com o que ele diz no texto, fiquei pensando que é meio natural do ser humano focar naquilo que não está bom ou naquilo que ainda não tem. Isso não é uma coisa ruim. Muitas vezes é o que nos impulsiona a querer sempre melhorar e evoluir. Quando transformamos essa insatisfação ou inquietação em motivação, ela faz com que continuemos curiosos, superando limites e fazendo descobertas que tornam as nossas vidas ainda melhores.

Também é natural nos sentirmos tristes e de saco cheio de vez em quando. O que precisamos ter em mente é que a felicidade não é a ausência de tristeza, frustração ou de problemas e sim, a capacidade de enxergar tudo isso como parte de um processo de evolução necessário para todos nós. Você pode SER feliz, mas ESTAR triste por algum motivo. Emoções negativas são parte da vida e não devem ser evitadas e sim administradas e usadas como fonte de aprendizado.

Portanto, não abandone o desafio porque você não teve nada feliz para compartilhar em um determinado dia. Use esse dia chato ou talvez triste como impulso para o próximo. Escolha uma frase ou uma imagem para te incentivar e, mais do que isso, exercite a sua capacidade de ver o copo meio cheio mesmo quando ele está quase vazio 🙂

You Might Also Like

11 Comments

  • Reply Fred Di Giacomo 28 de fevereiro de 2014 at 13:27

    Hey, Fê, legal o post! O site está bem bacana. Obrigado pelo link pro Glück. Um beijo

  • Reply Aline 28 de fevereiro de 2014 at 13:39

    É… Um dia depois de eu começar o desafio, comecei a discutir uma relação de namoro que acabou essa semana. Um namoro que durou cinco anos e meio. Aí você sabe, tá difícil de enxergar os momentos bons. Acabei deixando de lado o desafio, mas como você disse, dá pra se empenhar um pouquinho. É possível, em meio aos choros da perda do amado, ver que a irmã te faz um jantar gostoso, ou que as amigas cantam alto uma música que a gente gosta, ou que o carnaval tá aí, os relatórios do trabalho já foram entregues… Enfim.

    Teu blog é inspiração. Parabéns por isso aqui. :**

  • Reply Aline 28 de fevereiro de 2014 at 13:40

    AAAAH, que coisa fofinha: Todos os direitos reservados à felicidade 🙂
    HAHA <3

  • Reply Cris Netto 1 de março de 2014 at 14:11

    Oi Fê, estava justamente pensando em escrever sobre isso, quando seu texto chegou de presente para mim! Muito obrigada e depois dá uma olhadinha no http://www.cloudassistant.wordpress.com. É o meu projeto de blog, ainda inicial, mas que tem como proposta ajudar as pessoas, através das minhas reflexões, a encontrarem o seu caminho para uma vida mais feliz. Agora estamos no Carnaval aqui no Brasil. Depois de quarta-feira haverá novidades no blog.
    Beijo grande!

  • Reply Lulu 4 de março de 2014 at 18:00

    Ei Fê!
    Belo post esse. Estou também completando 1/3 do meu desafio e percebi que o mais difícil, quando fui chegando nesse ponto, era perceber que aquelas felicidades diárias, que eram muito claras, foram se esgotando e que daqui pra frente eu preciso de muito mais atenção para pra perceber esses pequenos momentos do meu dia. Mas a grande questão é: para o desafio estamos sempre querendo uma felicidade nova, seriam 100 momentos felizes diferentes, para não ficar repetitivo. Mas na vida, a felicidade de ontem também pode ser a de daqui alguns dias e, assim, dificilmente passaremos um dia sem um momento feliz. Os meus grandes aprendizados estão sendo, primeiro, perceber que para ter um momento feliz muitas fezes precisamos nos esforçar, levantar da cadeira e sair por aí para encontrá-los, não dá pra ficar parado! E o segundo é que, se o dia vai chegando ao fim e não tivemos nosso momento de felicidade, é hora de produzir um. Por que não nos dar um momento de prazer lendo um texto bonito, ou algumas páginas de um livro, ou assistir o nosso seriado favorito? Se desafiar tem disso, a gente torna-se capaz de perceber quando não estamos sendo felizes e passamos a buscar esse momento diário.
    Abs e força no desafio!

  • Reply Bruna 6 de março de 2014 at 17:12

    Mais um texto incrível, Fe! Adorei! Sempre lembro de uma frase que diz que a felicidade não é a ausência de problemas, e sim a maneira como lidamos com eles!

    Beijos!

  • Reply Fabiane Cristini dos Santos 7 de março de 2014 at 02:27

    Realmente um texto de reflexão…acredito que você tenha lido muitos livros, mas sabe acompanhando seus posts, me vem muito as teorias da psicologia, e lembrei de um grande mestre da psicologia Carl Jung que diz em uma de suas frases: “Quem olha para fora sonha, quem olha para dentro desperta”. Acredito que tem muito haver com o que você está fazendo e também escrevendo e incentivando as pessoas a fazerem!!! (Deixo como dica de leitura) Obrigado mais uma vez!!!!

  • Reply Marggah 8 de março de 2014 at 02:06

    Fê, comecei o desafio dos #100dias e parei na segunda semana. Vi que todos meus motivos de felicidade eram meus filhos e comidas. E não dá para ficar fotografando todo dia a mesma coisa, mesmo que seja uma coisa boa. Olhei para minha rotina e achei-a muito fraca. Falta algo que, aos 53 anos, não sei onde buscar. Vamos ver…
    Beijos e obrigada pelas inspirações em forma de posts.

  • Reply Mariana 10 de março de 2014 at 21:53

    Fê,
    Estou no dia 43/100. Tem me ajudado demais!!! Não sei se você e quem não é meu seguidor consegue ver as fotos, pois meu insta é bloqueado… Muito obrigada pelo pontapé inicial de ver a vida com menos expectativas e olhos que enxergam beleza e gratidão em tudo!

    • Reply Fê Neute 12 de março de 2014 at 22:31

      Oi Mariana!
      Que felicidade!!! Eu não consigo ver as fotos de quem tem Instagram bloqueado :(((
      Mas mesmo assim estou muito feliz com o seu depoimento e com o fato de você estar firme e forte.
      Se continuar, me avise no final e quem sabe você pode virar história no blog 😀
      Beijos!

  • Reply Nath 25 de março de 2014 at 02:10

    Cheguei no seu blog por uma indicação de uma amiga! A cada post que leio, me identifico mais com você e sua história. Parece que tudo que passei nos últimos anos está escrito aqui. Cerca de quatro anos atrás, também resolvi mudar radicalmente de vida em busca de qualidade de vida, que não tinha na vida louca de engenheira-bem-sucedidade-de-multinacional que havia me enfiado em busca deste falso sucesso… Hoje moro no litoral do Piauí com meu namorado, onde temos uma pequena pousada (terrapatris.com.br) que nos proporciona tempo para viver e aprender com a vida da maneira que quisermos. Também não nos arrependemos de nada e já planejamos voos maiores em busca do despreendimento. Seu blog é inspirador. Estarei sempre aqui e se quiser aparecer neste pedacinho do litoral… Fica aqui o convite!

  • Leave a Reply