FELIZ COM A VIDA Para Pensar

O MUNDO NUNCA FOI TÃO INCRÍVEL E NINGUÉM ESTÁ FELIZ

24 de fevereiro de 2015

Você sabe que ficou velha quando começa olhar para o comportamento dos mais jovens e pensar: na minha época era diferente.

A minha geração, hoje com 30 e poucos anos, é uma geração privilegiada na minha opinião. Nós não só acompanhamos, mas vivemos grande parte dos avanços tecnológicos das últimas décadas e evoluímos com e graças a eles.

Quando eu lembro que já estava na faculdade e ainda não existiam redes sociais é difícil de acreditar. Chega a ser cômico pensar que eu estudei comunicação social antes dos smartphones, tablets, laptops, do Facebook, Instagram, Twitter, YouTube, WhatsApp… MEL DELS!

Eu tinha de esperar para revelar fotos, tinha de atender ao telefone para saber quem estava falando, tinha de esperar tocar no rádio a minha música preferida e gravar em uma fita K7 se quisesse ouvir depois.

Se quisesse chegar a algum lugar, tinha de pedir informação na rua e ligar no 156 (telefone da prefeitura de São Paulo) para saber qual ônibus tomar.

Hoje, não dá mais para imaginar o mundo sem as facilidades que tornaram a nossa vida extremamente fácil e conveniente com apenas um clique.

Você já parou para pensar no quão sortudos nós somos por termos nascido nessa época? 

Que nós vivemos em um mundo incrível, cheio de oportunidades que nunca existiram antes? Em uma era em que com acesso à internet é possível expandir o nosso conhecimento de graça, estudar em universidades fora do Brasil ou conversar com pessoas do mundo inteiro sem sair de casa? Ou que é possível viajar e conhecer novas culturas como nunca antes na história e nós ainda podemos tirar proveito disso no auge da nossa juventude?

Tudo evolui tão rápido e parece tão normal que tenho a sensação de que não damos valor para o quanto tudo isso é maravilhoso!

Também sinto que cada vez mais estamos deixando de agradecer e de olhar para o lado bom das coisas, principalmente quando elas não nos beneficiam diretamente ou naquele exato momento.

O poder da gratidão.

A palavra gratidão está na moda. Mas, o que é se sentir grato de verdade?

Tweet: Gratidão é celebrar o que há em abundância nas nossas vidas em vez de focar no que nos falta. @feneute

É saborear verdadeiramente tudo de bom que nos acontece reconhecendo o valor das coisas no momento certo. Quando você é grato, você se preocupa menos com o que vem depois e aproveita mais o agora.

Por muito tempo eu confundi gratidão com entusiasmo e otimismo. Mesmo sendo muito empolgada e otimista com a vida, pelo fato de ser perfeccionista demais, eu sempre achava que tudo poderia ser melhor, seja lá o que for. Isso fez com que, muitas vezes, eu não celebrasse as coisas que – na minha visão – não estavam perfeitas naquele momento.

Depois de começar a pesquisa e, principalmente, o curso de Ciência da Felicidade, eu percebi que embora eu estivesse sempre empolgada com as coisas, eu não era uma pessoa tão grata quanto eu pensava ser e, essa minha viagem pelo mundo foi o que mais me fez ter certeza disso.

Por mais incrível que fosse a minha visita a um país, eu sempre ia embora com a sensação de que não tinha aproveitado tudo. Ficava pensando mais nas coisas que eu não tinha feito, do que nas experiências que eu tinha vivido. Só que hoje, quando eu vejo fotos ou recordo a viagem, percebo quantas coisas legais aconteceram e talvez eu não tenha aproveitado tanto quanto deveria porque estava pensando no que eu não podia “perder”.

É claro que eu ficava animada, feliz e maravilhada com os lugares, mas o FOMO, a ansiedade pelo que eu estava deixando de fazer era tão grande que gerava uma agonia completamente desnecessária.

A gratidão explica porque algumas pessoas que tem tudo para terem a vida mais feliz do mundo são infelizes e outras que passam por sérias dificuldades são felizes.

Quando não somos gratos, não importa o quão boa seja a nossa vida, vamos sempre focar no que está faltando e é impossível ser genuinamente feliz dessa forma, já que a ansiedade causada pela necessidade de perseguir constantemente o que não temos nos afasta cada vez mais da felicidade.

“Não é a felicidade que nos faz gratos, é a gratidão que nos faz feliz.”
Monge David Steindl-Rast

Eu demorei para perceber que me faltava parar, contemplar e agradecer por aqueles momentos, mesmo que eles não fossem “perfeitos” e que só assim, tiraria o melhor de cada um deles enquanto eles estavam acontecendo. 

Só que isso não é tão fácil quanto parece. Gratidão é muito mais do que uma hashtag ou do que simples “obrigada”. 

Para ser grato é preciso aprender a reconhecer o lado bom da vida, refletir sobre o porquê e também sobre o que de positivo os acontecimentos do passado trouxeram para os dias de hoje, mesmo que não parecessem ou fossem bons na época

A gratidão é a arte de parar e olhar para si mesmo e para cada novo dia como uma grande oportunidade, pois não sabemos quando será o último. Aliás, a vida nos foi dada de graça e acordar todos os dias já é o maior motivo para agradecer!

Imagem: @banksy

NEWSLETTER_

You Might Also Like

14 Comments

  • Reply Felipe Pereira Silva 24 de fevereiro de 2015 at 13:03

    Fê, adorei o texto. Estou passando por um momento de transição em minha vida e por um natural – e também esperado – conflito de ideias.
    Começar a ler os seus posts tem me ajudado a repensar muitas coisas neste processo.
    Ah… e já ia me esquecendo…
    Sou grato por ter encontrado seu blog numa despretensiosa busca na internet!
    Beijos, do também Fê ❤️

  • Reply Misael 24 de fevereiro de 2015 at 15:49

    Ler os textos no seu blog é como acordar numa manhã ensolarada de sol dando aquele bom dia com felicidade sem saber o motivo de tanta haha.
    Muito bom, Fernanda.
    Eu tenho 25 anos mas a minha cabeça é um pouco mais old school e meus pensamentos batem com as suas idéias expostas aqui no blog, me faz sentir entrosado no meio de um grupo que realmente faço parte.
    E em relação ao texto, já dizia o grande fabulista grego Esopo: “A gratidão é a virtude das almas nobres”.

    Vive la vie!

    Abraço.

  • Reply Outsiders Brazil 25 de fevereiro de 2015 at 07:51

    É isso mesmo! Li a pouco tempo a ideia que Dalai Lama traz sobre a gratidão no livro ‘A arte da felicidade’ escrito por um psicanalista americano e baseado em conversas com o próprio. A gratidão deve ser praticada até mesmo nos momentos de sofrimento, de dor intensa ou em um momento de convívio com o inimigo; todos estas ocasiões favorecem momentos importantes para a prática da paciência, compaixão e superação de obstáculos. Segundo ele estas são oportunidades raras que devem ser tratadas como tesouro, “pois se um dia chegarmos a ter sucesso na prática isso será devido à combinação dos nosso próprios esforços com a oportunidade fornecida pelo nosso inimigo ou pela dor”. Como você disse Fe, não é mesmo fácil ser grato em exatamente tudo, mas pode ser um exercício viciante! bjo Paula

  • Reply Heloá Costa 25 de fevereiro de 2015 at 19:42

    Grata estou eu por você ser tão sensível e compartilhar as suas experiências e opniões sobre as coisas do cotidiano que para muitos não tem a sua devida importância ou até mesmo a delicadeza da percepção !!! Muito grata Fe!!! Estou apaixonada pela sua pessoa… Você é iluminada
    Beijinhos
    # aprendocomvcfe

  • Reply Marcelo 26 de fevereiro de 2015 at 22:25

    infelizmente tenho que discordar.
    Acho que o mundo nunca deve ter sido tão chato. Temos informações e não as usamos, estamos voltando a ser escravos em nossas profissões por receio de perder a vaga e não conseguirmos nos reposicionar pq, afinal, tem gente saindo pelo ladrão. Somos escravos da economia, da situação política, temos que seguir padrões estabelecidos pela sociedade, devemos postar aquilo que deve agradar aos outros e não aquilo que realmente sentimos, as pessoas nunca se drogaram tanto, nunca se matou tanto e nunca houve tanta intolerância.
    Enfim, poderia falar muito mais para explicar o porque do meu sentimento, mas acho melhor parar por aqui.
    Abraços

  • Reply Camila Faria 27 de fevereiro de 2015 at 15:47

    Maravilhoso o texto! Estou amando todos os posts, na verdade. Parabéns pelo conteúdo lindo e inteligente. <3

  • Reply Renata Santos 28 de fevereiro de 2015 at 03:25

    Na minha cabeça, tudo é perfeito. Tudo é perfeito do jeito que é porque o que vem até nós, é exatamente o que a gente precisa no momento. Pode parecer papo de doidão, mas é o que acredito hahahah
    E que curso é esse que você fez?

  • Reply Aline 2 de março de 2015 at 11:07

    Lindo seu texto, e o que disse foi a mais pura verdade, nós temos tudo e não estamos felizes, o que adianta?

    http://alinesecretplace.blogspot.com.br/

  • Reply Ana 4 de março de 2015 at 14:39

    Eu tô fazendo esse curso da ciência da felicidade também, Fê! A passos de tartaruga, mas eu chego lá!

    Já tem um tempo que percebo que, pra mim, é um exercício consciente esse de exercer a gratidão, sabe? Que é mais fácil se deixar levar pelas reclamações do dia-a-dia, focar nas coisas que não estão dando certo ou não estão como a gente achava que deveriam estar, do que observar tudo aquilo de bom que a nossa vida já tem e realmente sermos gratos por isso.

  • Reply Aline 6 de abril de 2015 at 15:38

    Que texto e que blog maravilhoso! Não me conformo que só passei a conhecer hoje! Já tenho programação para meu tempo livre nos próximos dias; ler o blog! Um dia quero chegar a esse nível de gratidão e elevação espiritual que você passa pra gente com a sua escrita. Parabéns! Beijos da sua nova leitora, Aline.

    • Reply Fe Neute 6 de abril de 2015 at 15:41

      Que lindo ler isso, Aline!
      Obrigada por se tornar uma nova leitora!
      Beijo!

  • Reply Júnior 14 de maio de 2015 at 09:14

    Gostei muito do seu texto, porém nao ha nada que nos fortaleça e que possa trazer a verdadeira paz do que estar buscando a Deus e seus ensinamentos que não falham e não deixa ninguém desamparado.
    Que Deus fortaleca e proteja a cada dia.
    Abraços

  • Reply Christine Marote 22 de julho de 2015 at 09:55

    Parabéns Fernanda!
    Tão difícil as pessoas pararem para olhar ao redor e mais ainda, perceber o quanto somos privilegiados…
    Adorei o texto, principalmente o tel do 156… (nem lembrava que um dia usávamos esse recurso ultra moderno! hahaha).
    Continue vendo a vida por esse prisma e inspirando outras pessoas a enxergar isso também.
    Abraço.

  • Leave a Reply