Felicidade

VOCÊ JÁ PENSOU EM PLANEJAR A SUA FELICIDADE?

11 de Abril de 2014

Felicidade é algo difícil de ser definido e mais ainda de ser mensurado. Algumas pessoas dizem que é a soma das pequenas coisas boas do dia-a-dia. Outras, que é ter uma vida plena fazendo o que se ama. E também aquelas que acham que é ter um carro bacana ou uma casa com piscina. Ninguém está errado e a felicidade que um sente não é maior ou melhor do que a do outro.

Mas, como algo tão abstrato pode ser planejado?

Ao contrário do que muita gente pensa, a felicidade não é algo que acontece nas nossas vidas aleatoriamente. Ela precisa ser exercitada e, por que não, planejada?

Tudo é uma questão de tempo.

Por muitos anos se estudou a relação entre o dinheiro e a felicidade. Todo mundo queria encontrar a resposta para a pergunta: dinheiro traz felicidade? Mas, pouco se estudou até hoje sobre a relação entre o tempo e a felicidade.

Todo mundo deve concordar que o tempo está se tornando cada vez mais valioso, já que, ao contrário do dinheiro, o tempo perdido jamais poderá ser recuperado.

Isso faz com que as pessoas se preocupem mais com a forma que passam o seu tempo e com o fato de que talvez não valha a pena perdê-lo quase todo em troca de dinheiro.

Mas, como disse a Monja Coen em uma entrevista ao Glück Project:

“Preocupar-se nunca é válido. Ocupar-se é.”

Não adianta ficarmos estressados ou frustrados porque não estamos usando o nosso tempo da melhor forma se não tivermos noção do que gostaríamos de estar fazendo com ele.

Vocês já repararam que muitas vezes existe um hiato entre o que as pessoas dizem que elas gostariam de estar fazendo com o tempo delas e a forma com que elas gastam o tempo que tem? Será que realmente sabemos quais são as coisas que nos fazem felizes de verdade?

Ser feliz exige, além de esforço, autoconhecimento. Só nos conhecemos e entendemos quais são as nossas verdadeiras necessidades quando isolamos a nossa vida dos fatores externos e fazemos uma avaliação honesta sobre a razão pela qual tomamos certas decisões.

É sempre mais fácil colocar a culpa no emprego, no marido ou nos pais pelo tempo que nos está sendo confiscado porque tivemos de arrumar a casa, trabalhar até mais tarde ou cuidar dos pais doentes. Mas, será que no fundo, não estamos fazendo isso porque queremos ser consideradas boas esposas, funcionários competentes e filhos exemplares? Isso não deveria nos fazer bem em vez de nos fazer lamentar pelo tempo perdido?

É mais provável que a gente sinta que nosso tempo está sendo bem aproveitado quando fazemos algo sem esperar pelo reconhecimento de outras pessoas. Toda e qualquer ação da nossa vida requer tempo, por isso, precisamos ter consciência das escolhas que fazemos o tempo todo para que elas nos tragam algum tipo de satisfação pessoal. Do contrário, continuaremos com a sensação de tempo perdido.

Não coincidentemente o trabalho é uma das coisas que tem feito cada vez mais gente infeliz. Muitas pessoas não vêem propósito algum no que fazem e por terem de passar o dia todo confinadas e sem nenhum controle sobre o próprio tempo acabam se sentindo totalmente insatisfeitas com a vida que levam.

Só que nem todo mundo pode largar tudo para abrir seu próprio negócio ou viajar. Nem todo mundo pode abandonar os pais doentes ou ou deixar algumas obrigações de lado. O que fazer então?

Comece a planejar a sua felicidade. Sim, como planejamos os nossos gastos ou as nossas férias. Abra espaço na sua vida para aquelas coisas e pessoas que fazem você se sentir bem. Identifique o que te faz feliz (o desafio #100diasfelizescomavida está aí para te ajudar!) e repita isso com mais frequência.

Quando nos organizamos e planejamos as coisas com antecedência otimizamos o nosso tempo (e muitas vezes nosso dinheiro) e fazemos com que ele renda mais.

Antes de eu pedir demissão para viajar eu já tinha identificado que essa era uma das coisas que me deixava mais feliz. Por isso, queria fazer os meus dias de férias renderem ao máximo para que eu pudesse viajar cada vez mais. Era engraçado ver a reação das pessoas indignadas quando eu dizia que estava indo viajar de novo ou quando postava uma foto no Facebook: “De novo?”, “Queria ter um emprego como o seu!”, “Quantos dias de férias você tem por ano?”.

A minha resposta era simples: “Eu tenho os mesmos 30 dias e os mesmos feriados que você, a diferença é que eu me planejo e aproveito muito bem esses dias.”

Era a mais pura verdade. Eu nunca tive nenhum tipo de privilégio. O que fazia parecer que eu tinha o dobro de férias que todo mundo era que no dia 2 de janeiro eu já tinha uma planilha com todos os feriados que poderiam ser emendados e quantas viagens eu faria no ano combinando isso com os meus dias de férias. Além disso, sempre prestava atenção para começar de preferência numa segunda-feita e voltar em uma quinta ou sexta-feira e não perder o fim de semana. Isso é planejar a sua felicidade. É arrumar tempo para aquilo que te faz verdadeiramente feliz.

Passe a ver o seu tempo como um grande quebra cabeça e tente preencher cada espaço com a peça certa. Não é fácil, mas com o tempo isso acaba virando um hábito que deveria ser cultivado por todos aqueles que buscam mais satisfação com a vida e consequentemente, mais felicidade!

Imagem: Amanda Cass

You Might Also Like

20 Comments

  • Reply JOR 11 de Abril de 2014 at 08:09

    Prometi pra mim mesma que passaria a quaresma sem usar o Facebook – parece algo bobo mas a minha qualidade de vida melhorou muito nesse período. Qualquer tempinho livre eu usava pra ficar olhando o perfil de outras pessoas e está cheio de pesquisas por aí já mostrando que FB pode ser uma coisa deprimente, já que todo mundo só escreve sobre os próprios sucessos. A impressão era sempre de que a minha vida era muito sem graça. Agora, quando tenho esse bem super valioso chamado TEMPO LIVRE, procuro usá-lo pra fazer coisas que me deixam mais feliz: brincar com minhas filhas, correr, ler um bom livro ou ler coisas inteligentes na internet – e foi assim que conheci esse blog! Já sou fã de carteirinha, li quase todos os posts e hoje decidi dar mais um passo pra felicidade, e me abrir pra esse mundo virtual e dividir um pouquinho de mim também. Parabéns pelo blog e por seguir suas escolhas!

    • Reply Daniele Maia 7 de junho de 2016 at 13:07

      Eu desinstalei o face do meu celular, saí de todos os grupos do whatsapp que estava por “educação”. E para mim é libertador. Continuo tendo o perfil do fb, mas mas tenho que abrir o navegador do celular para olhar, e não receber inúmeras notificações facilita eu não me distrair o tempo todo com isso.

  • Reply Cristina 11 de Abril de 2014 at 09:13

    Texto muito bom! Eu também gosto de planear tudo ao pormenor, mas como lidar com a frustração e desilusão quando acontece algo que nao depende de ti, e te impede de seguir com os teus planos. Isso acontece-me frequentemente, e uma amiga diz-me constantemente, “não podes fazer planos para tudo, muito menos a longo prazo. Faz planos para amanhã, que evitas esse sentimento de impotência e desilusão”
    Mas então em que ficamos? É um dilema. =/

    • Reply Fê Neute 11 de Abril de 2014 at 14:21

      Oi Cristina,
      Eu acho que o problema não está nos planos e sim na expectativa que colocamos em relação aos resultados deles.
      O planejamento em si, deveria ser apenas uma ferramenta para nos ajudar a otimizar o nosso tempo. Só que quando fazemos planos raramente os separamos das expectativas e é isso que as vezes nos faz ficar frustradas ou infelizes se algo dá errado.
      Além disso, cada um deve encontrar seu próprio equilíbrio 🙂
      Beijo!

  • Reply Andressa Coelho 11 de Abril de 2014 at 11:56

    Oiii, Adorei o post!!
    é bem assim mesmo,… quando planejamos tudo até mesmo fazer aquele passeio que nos faz bem, a felicidade é uma consequência.
    Eu acredito que a felicidade esta na soma das pequenas coisas boas.
    Bjão

  • Reply D. 11 de Abril de 2014 at 13:43

    Tá certinho em planejar. Fiquei lembrando que estava ansiosa para tirar férias e fazer muitas coisas, organizar a casa, viajar. Fiquei os 30 dias em casa e não fiz nada, nem organizei as coisas da casa. Fiquei com a sensação de tempo perdido, nem parece que tirei as sonhadas férias. Pura falta de planejamento e de saber claramente o que me faria feliz. Adorei a dica! Bj

  • Reply Maria Antonieta 11 de Abril de 2014 at 16:13

    Fernanda, você me ensinou a ser mãe, porque foi minha primeira filha e eu continuo aprendendo, porque agora está me ensinando a viver!
    Beijos, te amo! <3

  • Reply Adriana Santos 11 de Abril de 2014 at 21:03

    Sim. É exatamente isso que venho fazendo nos últimos meses. Conheci uma pessoa que esteve comigo esse tempo todo e não sabia quem era: eu mesma. Na verdade ainda estou conhecendo e isso tem sido fundamental para traçar metas e definir objetivos. Seus posts são sempre ótimas fontes de inspiração. Parabéns!

  • Reply Juliana 11 de Abril de 2014 at 21:15

    Fê, gosto muito dos seus posts! Também acho que é algo exercitado. E como uma frase do Dostoievski que eu adoro, “o homem apercebe-se apenas das suas tristezas, ele lida com a sua felicidade como algo natural”.
    Ontem mesmo publiquei um texto no meu blog que fala também sobre isso, porque acredito que a felicidade está no cotidiano, como o desafio #100happydays que tomei contato pela primeira vez pelo seu blog.
    Enfim, a felicidade como algo de hoje e de agora.
    Abraços!

  • Reply Marieli Wisnieski 11 de Abril de 2014 at 23:34

    Conheci o blog pelo Facebook e me apaixonei pela proposta #100diasfelizescomavida. Entrei na “brincadeira” porque acredito ser uma corrente do bem. É um desafio pessoal (re)descobrir a minha felicidade através dos pequenos momentos de prazer de cada dia. Casa com a necessidade da minha fase! Obrigada, FÊ! Sonho com um livro seu. <3

  • Reply Gabriella 14 de Abril de 2014 at 19:23

    Ei Fê! Seus posts são sempre tão claros e objetivos, acho incrível como você consegue expressar em poucas palavras o que a gente passa a vida toda tentando entender. Nunca tinha parado para pensar na felicidade planejada, apesar de inconscientemente a gente provavelmente tentar buscar esse planejamento em nossa rotina. Abrir espaço para o que nos faz feliz é imprescindível, e realmente o autoconhecimento é o melhor caminho para descobrir o que nos faz feliz. Recentemente comecei o projeto #100happydays, e já estou no dia 35. O que estou achando mais legal no projeto é descobrir que minha felicidade segue alguns padrões recorrentes. O projeto está me ajudando muito a me entender melhor. São pequenas coisinhas que me fazem muito feliz e eu não dava valor antes de anotar. Acho que a felicidade está mesmo nas pequenas coisas, que, quando somadas, tornam o todo muito mais feliz e realizado. Estou postando meus momentos felizes no app Happier, você conhece? É um app destinado somente a momentos felizes, e acho incrível poder acompanhar as mínimas coisas que fazem os outros sorrirem. Descobri que meu dia fica muito mais feliz vendo outras pessoas felizes. Caso você não conheça, vale a pena baixar! Acho que pode ser válido para a sua pesquisa! 😉 Beijos! https://www.happier.com

  • Reply Luiza (Luly) Bocca 15 de Abril de 2014 at 18:33

    Acho que o ato de planejar a felicidade, vem junto com o ato de correr atrás das coisas que ama <3, tanto profissionalmente como para hobbies e se for os dois juntos melhor ainda 😀 !!!
    Amei o post Fê!!!! Beijos :* <3

  • Reply Bel 17 de Abril de 2014 at 01:05

    Achei o blog. Comecei a ler. Mandei mensagem para uma amiga que acaba de vender carro e alugar ap para viajar -ja pediu demissao – para ler seus posts. Me encantei. Li cada palavra. Tem exatas 6 horas que me debrucei em cada ensinamento, em cada desabafo, em cada esperança que foi me dada. Terminei anotando tudo. Obrigada! Certamente tive um longo momento feliz hoje! Continuarei por aqui! 🙂

  • Reply Fran 21 de Abril de 2014 at 12:23

    Fé estou simplesmente AMANDO os seus posts!!! Obrigada por compartilhar com a gente seus pensamentos! Bjo

  • Reply Bruna 24 de Abril de 2014 at 19:18

    Fe, adorei essa ideia de planejamento dos feriados! Vou colocar em pratica essa ideia! Tem tanto lugar legal que eu poderia conhecer se me organizasse melhor tanto na questão do tempo quanto financeiramente!

    Beijo!

  • Reply Carolina 15 de Maio de 2014 at 19:37

    Adoraando o blog!!! AMEI a ideia dos #100diasfelizescomavida e isso de planejar a felicidade. Mais tarde enquanto eu estiver comendo uma comida gostosa (me inspira) vou começar a planejar rsrsr
    Li em algum livro que devemos começar fazendo alguma coisa que gostamos uma vez por dia, depois duas coisas, três… até só ter coisa boa!
    Um ótimo final de semana. Beijo!

  • Reply Fernanda 19 de Janeiro de 2017 at 12:56

    Oi Fernanda, adorei seu post, estou tentando achar meu equilibrio e seus dizeres me ajudaram a ter coragem para traçar metas e tranquilidade para ver a vida com mais leveza, sem tantos medos.
    Obrigado.
    Abraços

  • Reply Priscila 16 de Abril de 2017 at 20:11

    Oi, gostei muito do seu blog. Você faz suas viagens sozinha? Gostaria muito d viajar em todas as férias e feriados, mas condiciono isso a uma companhia, e como não tenho acabo ficando em casa, infeliz.

    • Reply Fe Neute 18 de Abril de 2017 at 17:40

      Oi Priscila, eu viajei para alguns lugares sozinha e com outros com o meu marido. Viajar sozinha é maravilhoso e todo mundo deveria fazer isso um dia na vida para se conhecer melhor! Eu super apoio!

    Leave a Reply