FÊ-LIZ COM A VIDA: PARTE 4, A DESPEDIDA

Share:

Este é o último post sobre o projeto Fê-liz com a vida que, na verdade, está prestes a começar!

Quando a gente fala que decidiu largar tudo e ir viajar o mundo, todo mundo (incluindo a gente) só para para pensar na parte boa que é chegar a esse novo lugar e na nova vida que nos espera. O que esquecemos é que para chegar lá precisamos partir, e isso não é fácil.

Embora a gente viva para tomar decisões, desde a hora que acordamos e escolhemos nossa roupa até o que vamos comer no jantar, sabemos que toda grande mudança no curso da nossa vida vem depois de uma decisão. E, porque é tão difícil se fazemos isso o dia todo?

Para finalizar a série de posts vou listar as 5 coisas que, consciente ou inconscientemente, sempre fazem parte do processo de uma importante decisão:

1. Zona de Conforto

Ninguém quer sair propositadamente da zona de conforto, do quentinho. É bom saber como serão todos os nossos dias e, se você está feliz com isso, ótimo! Mas se você é daqueles que está sempre deixando a zona de conforto falar mais alto nas suas tomadas de decisões, saiba que você pode estar deixando coisas incríveis passar, já que a maioria das oportunidades está fora da nossa zona de conforto.

2. Confusão

A confusão existe porque estamos sempre ponderando duas ou mais situações para tomarmos uma decisão (sendo uma delas geralmente a zona de conforto). O maior inimigo de qualquer ação é o famoso “e se”. É importante ter em mente que toda ação deixa de ser uma possibilidade e vira um fato e a vida é feita de tentativas e fatos e não de possibilidades.

3. Risco

A gente cresce ouvindo a frase: “Quem não arrisca não petisca”. Quando você não assume riscos a probabilidade de coisas que estão estagnadas na sua vida mudarem são muito menores. Quanto maior o risco, maior a chance de as coisas acabarem de um jeito diferente do esperado.

4. Conseqüências

Toda escolha envolve uma renúncia. É piegas, clichê, mas é a maior verdade que existe. No meu caso, viver uma vida nova significava abrir mão de estabilidade financeira e de estar perto da família e amigos, por exemplo. Mas o bom é saber que nada é definitivo e você sempre pode mudar de novo ou voltar atrás.

5. Progresso

Não importa se a decisão é sobre uma oportunidade de carreira, relacionamento, família ou viagem. Cada decisão que tomamos é um passo a frente em direção a maturidade e na forma como lidamos com as coisas. Elas podem nos causar incertezas e arrependimentos e pode ser difícil enxergar as vantagens de imediato, mas no longo prazo é importante entender que aquela decisão foi tomada por um bem maior e que mesmo se der errado, o fato de você aprender com ela também te fará uma pessoa melhor.

Eu nunca imaginei que seria tão difícil lidar com toda a carga emocional que uma decisão como esta carrega. Deixar um emprego de mais de 7 anos cheio de pessoas queridas, vender todas as coisas que eu trabalhei anos para conseguir comprar e me despedir da família e dos amigos. Mas, chegou a hora. Vai começar uma nova etapa que é descobrir dia a dia o que é essa nova vida, esse novo guarda-roupa que virou uma única mala, esse novo jeito de trabalhar que não o das 9h as 20h que eu estava acostumada.

Tudo o que sei a partir de agora é que na próxima semana eu estarei chegando na Tailândia com um enorme frio na barriga, mas também cheia de curiosidade, expectativa, vontade de aprender e sonhos para realizar.

Share:

logo inbox

Assine a newsletter e receba um conteúdo exclusivo no seu e-mail!

Ao clicar em “inscrever-se”, você concorda em receber e-mails do Fê-liz com a vida e aceita nossos termos de uso, política de privacidade e cookies.