“NEM TODO MUNDO PODE LARGAR TUDO PARA VIAJAR O MUNDO”. SERÁ QUE NÃO?

Share:

Há exatamente dois anos eu larguei tudo e embarquei com a minha passagem só de ida para a Tailândia. Eu larguei o “emprego dos sonhos”, um salário que muita gente invejava, um carro novo, muitas, muitas roupas, minha família, meus amigos queridos.

Quando a gente decide largar tudo, sabemos que vamos ter de abrir mão de muitas coisas, até mesmo daquelas coisinhas do dia a dia que não damos absolutamente nenhum valor quando estamos com a ideia fixa de que sair pelo mundo é a única coisa que vai nos fazer feliz.

Eu confesso que não parei para pensar em tudo o que eu estava deixando para trás quando saí do Brasil. Acho que, até por isso, a primeira coisa que eu ouço de muita gente é: “nossa, que coragem!”.

Só que, mais do que admirar minha coragem, muita gente rapidamente arruma uma justificativa para a minha decisão: “ah, mas você é novinha”, “pra você é fácil, você não tem filhos”, “você tem um namorado que foi com você”, “você tinha dinheiro guardado” ou até “você é publicitária, é mais fácil para trabalhar online.”

Chega a ser engraçado ouvir todas as teorias que as pessoas criam para justificar – no fundo – a decisão delas de não querer largar nada.

Será que largar tudo e fazer o que der na telha é algo que apenas algumas poucas pessoas podem fazer?

Eu acho que não, sabe por que? Eu acredito que nossa vida é feita de escolhas. Cada uma das escolhas que fazemos todos os dias tem um resultado e uma consequência e, quando as pessoas dizem que elas não tem escolha, no fundo elas estão dizendo que não querem lidar com o resultado ou com as consequências do que escolheram.

Quando você diz: ah, mas eu não poderia largar tudo para ser feliz…

… eu tenho uma casa e/ou um filho: você está escolhendo viver uma vida mais estável porque entende que isso será melhor para você e, provavelmente, para aquilo que você considera um bom futuro para o seu filho. Você não quer lidar com a incerteza, com uma possível falta de dinheiro, com o stress de não saber o que fazer ou com o julgamento de todos que vão te achar irresponsável por fazer isso tendo um filho para criar.

O motivo pelo qual você não larga tudo não é o seu filho, o seu marido ou a sua casa, é você.

… minha mãe está doente e/ou depende de mim: sim, esse é um motivo louvável e acontece muito mais do que a gente imagina. Quando você decide parar a sua vida para ajudar a sua mãe ou pai, você está escolhendo não lidar com o remorso de não ter feito o que era preciso no caso de um dia eles faltarem. Ou talvez, você não queira lidar com a dor de ver seus pais sofrendo quando você não está por perto.

O motivo pelo qual você não larga tudo não são os seus pais, é você.

… eu não tenho dinheiro: você pode não acreditar, mas eu sei muito bem o que é não ter dinheiro. Não estou falando de não ter o que comer ou onde morar, pois ainda que eu tenha nascido em uma família pobre, nunca me faltou nada. Mas eu já passei meses sem ter R$ 1. E quando eu digo isso eu estou falando sério! Eu já passei dias inteiros na rua sem poder comer porque não tinha dinheiro. Eu já tive de pedir carona em ônibus porque perdi meu passe e não tinha como voltar para casa.

Por um tempo, eu não tinha dinheiro porque meu pai não me dava. Então, eu escolhi abrir mão da minha adolescência para trabalhar e ganhar algum dinheiro. Depois, eu não tinha dinheiro porque escolhi fazer uma faculdade particular.

Gente, é claro que eu sei que fiz escolhas para o meu bem-estar no futuro e que algumas pessoas não tem dinheiro nem para fazer essas escolhas, mas honestamente, não são essas pessoas que estão reclamando do trabalho que paga bem e consome a vida ou da falta de dinheiro para viajar pelo mundo.

Se você quer largar tudo e começar um negócio ou viajar e o motivo pelo qual você não faz isso é dinheiro, você está errado. Não é o dinheiro que te impede, é a sua incapacidade de lidar com a falta de dinheiro que te paralisa.

O motivo pelo qual você não larga tudo não é dinheiro, é você.

Mesmo que algo completamente inesperado te aconteça, você sofra um acidente que te impeça de trabalhar, você seja roubado e perca absolutamente tudo, você é responsável pela forma com que vai encarar essas fatalidades. Você pode escolher ser uma vítima das circunstâncias ou usar isso como motivação e tocar a bola para frente.

A minha vida foi muito mais difícil nos últimos dois anos do que eu jamais poderia imaginar, mas foram essas dificuldades que fizeram que com ela fosse muito mais maravilhosa do que em qualquer sonho que eu pudesse ter.

Ninguém é obrigado a conviver com a incerteza, com a falta de grana, com a distância da família. Mas, por favor, se você decidir que não consegue largar tudo, não arrume desculpas ou culpe ninguém. Apenas seja feliz com a sua decisão, olhe para o lado bom da sua vida, agradeça e entenda que você está onde está porque você escolheu que fosse assim.

Share:

logo inbox

Assine a newsletter e receba um conteúdo exclusivo no seu e-mail!

Ao clicar em “inscrever-se”, você concorda em receber e-mails do Fê-liz com a vida e aceita nossos termos de uso, política de privacidade e cookies.